quarta-feira, agosto 24, 2005

Dolium 2003 Tempranillo

Havia experimentado o Dolium 2003 Malbec, comentarei com detalhes aqui em breve.
O melhor neste nível de preços - bate famiglia bianchi e etc...
O Tempranillo, infelizmente, embora um bom vinho deixa MUITO a desejar se comparado ao Malbec.

Rubi/granada, com média translucidez.
Límpido, transparente, brilho médio.
De viscosidade densa.
Qualidade visual:4

Exame olfativo:
Alcoólico, simples, argila?,

Primeira sensação: untuosidade.
Adstringente (um pouco demais)

Não pude experimentar na temperatura correta.

quinta-feira, julho 07, 2005

35 South - 2001 - Chileno

Um bom Cabernet Sauvignon chileno.
Um bouquet de caça muito presente, couro.
Rubi intenso.
Um pouco adstringente na boca, persistente.
R$ 35,00 (Carrefour).
Até esta data este vinho causou boa impressão.

sexta-feira, junho 10, 2005

Norton 2002 Malbec e Santa Julia 2002 Malbec


Posted by Hello

Ainda sob o impacto da bomba Argentina, meio atordoado, resolvi me definir. Fiquei por estes dias tomando vinhos brasileiros para me recuperar. E tomei também um ou outro já testado e aprovado aqui no baccoveritas, já estou idoso para levar sustos...
Muito bem: hoje vamos a dois argentinos - levei os dois a 18 graus - já saquei as rolhas e servi as taças - pelo que percebi rapidamente dos bouquets nenhum dois dois vão decepcionar.
A primeira impressão é que "limparão a barra" de uma vez por todas dos vinhos argentinos aqui no bacco.
Primeiro vou ao Santa Julia, como no caso do Norton, a região é Mendonza no pé da cordilheira dos Andes.
O vinho com 13% de álcool tem cor rubi-granada, o bouquet tem couro e frutas vermelhas e um certo frescor, é correto Malbec. Na boca é equilibrado, senti um pequeno amargor, e uma pequena adstringência. Um amargor como se tivesse marcado fumo de rolo. Persistente.
Um vinho correto para os R$ 32,90. Pode haver uma repetição. O Santa Julia tem um irmão Tempranillo "Oak Aged" que já comentei aqui no bacco e pretendo experimentar novamente; e trazer aqui à Veritas. Por enquanto a Veritas me impõe: O Gran Tarapacá (prefira o 2001) ainda bate, é ainda o melhor Blogado... E em termos de Argentinos: o Famiglia Bianchi 2001 ainda é imbatível.

Fui ao Norton - perdeu para o Santa Julia.
Tem um intenso bouquet, o cheiro de uva passa é marcante - quando parado. Aliás vale a pena abrir só para sentir, ele vai se desprender aos poucos do vinho e se concentrar na taça - não balance, só aguarde... A cor é um rubi intenso, translúcido. Na boca - sob influência da memória do Santa Julia o Norton se mostra menor... pero no mucho!
É justo para os R$ 22,90 e vale se você tiver outro uso programado para os 10 contos da diferença. :-).

De qualquer maneira redimi os vinhos argentinos de vez. Há que se tomar cuidado com as bombas - mas os justos não podem pagar pelos pecadores.

sexta-feira, maio 13, 2005

Gran Tarapacá - Reserva - 2002

Gran Tarapacá Reserva 2002 Carbernet Sauvignon
R$37,00 (maio/2005)Degustação 11/05/2005
Aspecto visualVioláceo, pouca transparência, lágrimas com pouca tintura.Ofativo:Madeira, couro, caça, hortelã presente breve mentabouquet com certa riqueza - os aromas se apresentam aos poucos - após o primeiro gole senti muito presente a hortelãGustativo:Viscoso, traz pequeno amargorAinda um pouco adstringente.
provavelmente bom para guarda de mais uns 2 ou 3 anos.
Havia tomado em outra feita o 2001 - é muito bom. Faço menção para fazer justiça.
É um dos melhores nesta faixa de preços. Embora saia um pouco do previsto aqui para o baccoveritas.
É um excelente parâmetro.

quarta-feira, maio 04, 2005

Vinho de Redondo - Alentejo 2001

O vinho é português da região do Alentejo. As uvas são Trincadeira, Periquita, Aragonês e Moreto.
Bouquet em frutas frescas.
Granata, translúcido.
R$ 28,70.
Vale o quanto pesa.
Adstringente, talvez ainda agüente algum tempo - embora o rótulo informe bom para consumo jovem.
16 a 18 graus.
O vinho é equilibrado, persiste com o gosto na boca.
Vale a compra - é um vinho honesto- cheguei a ver em outros supermercados com preços melhores.
É um vinho que não tem traços de madeira.

domingo, maio 01, 2005

Dal Pizzol - 2004 Gamay - Beaujolais

Bouquet simples, sem nenhuma complexidade.
A uva Gamay faz o Beaujolais, que é um vinho assim, leve, simples, sem maiores pretensões.
Para uma tarde mais quente.
É um vinho sem corpo - um suco alcoólico - refrescante.
O Beaujolais não é um vinho de guarda. Deve ser tomado cedo. Logo na safra ou no máximo um ano depois. O Dal Pizzol - 2004 uva Gamay - você vai achar de R$ 19,00 a 22,00 - achei a R$ 21,00.
O rótulo indica o vinho para 6 a 10 graus - o que já indica que não é um vinho para os dias mais frios. Se não for um dia quente, resfrie-o até os 10~11 graus e mande brasa nele num lugar quente.
Ah! Sua namorada vai gostar - principalmente se ela for daquelas que preferem os vinhos brancos - embora ele esteja um pouco ácido e notadamente amargo, é um tinto com o potencial de agradar quem gosta dos brancos exatamente pela falta de complexidade.
A cor é um violáceo translúcido - as lágrimas do vinho deixam os tons violeta na taça.
Saiba que: quanto mais novo um vinho maior a sua capacidade de deixar rastros coloridos na taça.
Em vinhos de guarda - mais envelhecidos - as lágrimas escorrem sem deixar qualquer rastro.
Vale a tomada. Por vinte um contos.
Tenho aqui, desta feita, mais um Dal Pizzol de outra uva e um Gran Tarapacá - este efetivamente uma extravagância de R 37,00. Caríssimo, para os padrões estabelecidos neste blog, mas, ainda um vinho aceitável em termos de preço. Vou comentá-los nos próximos quinze dias.
Vamos combinar uma coisa: o vinho pertence à ocasião, assim como a ocasião é um festejo dele.
Veja: se vc está numa data especial, os preceitos de economia devem ser flexíveis.
Você pode fazer concessões em termos de empregar MUITO BEM algo por volta de 35 a 40 reais para tomar um vinho diferenciado, um vinho que marcará o momento em sua memória.
Famiglia Bianchi (2001 Mendonza/Argentina), Gran Tarapacá (2001/Chile), Santa Júlia Oak Aged Tempranillo - por aí vai. São vinhos que vão marcar por 35/40 reais.
Convenhamos, é melhor que comer uma pizza, um aperitivo e tomar uma cerveja - e vai ficar no mesmo preço.
Dividido por dois dá R$ 18,00 para cada um e a festa tá feita !
Claro, não é um vinho para todo dia.
Sobre isso, aliás, fico devendo a explicação de como guardar o vinho de um dia para o outro.
Esta e outras dicas enviarei no outro post. Estou devendo também coisas como: uma sessão completa de apreciação (como conduzir) e informações sobre como escolher uma boa safra.
(Vc tem que saber chutar quando estiver em frente ao gol - porque efetivamente vc não vai achar sempre na prateleira os vinhos dos quais tem referência).

quarta-feira, abril 20, 2005

Três bons, um muito bom e uma BOMBA !

Vamos começar pelos melhores - eles nos gabaritam ao péssimo.
Três vinhos que vale à pena experimentar - diferentes - sim, bem diferentes.
Heritage Du Rhône 2001 - R$ 35,00 Transparente, floral/frutado, equilibrado, um vinho refrescante.
Paolo Toscano - Chianti DOCG - perdi o preço - mas creio ter pago também R$ 35,00, um bouquet rico, na boca é encorpado e persiste.
Navarro Correa 2001 - Merlot - R$ 29,00 - não tomei nota dos detalhes, mas foi um vinho bem apreciado, honesto, vale experimentar.

Agora o destaque: Famiglia Bianchi 2000 - Malbec - Argentino - R$ 35,00 no Carrefour - era o último da prateleira - excelente o vinho, um bouquet complexo, encorpado persistente. Um dos melhores, talvez o melhor que eu tenha relatado aqui no blog.

Agora o que eu não posso deixar de bombardear:

Primeiro uma nota: Cuidado com os vinhos argentinos, os produtores nacionais - claro que são suspeitos para falar - mas têm avisado sobre os vinhos de má qualidade argentinos que têm chegado ao Brasil.
Como dissemos acima - você pode tomar um ótimo vinho argentino como o Famiglia Bianchi - mas não atire no escuro...
Eu fui ouvir um atendente e me estrepei.
E olha que é a segunda vez que relato um argentino porcaria aqui no Blog.
Trapiche = Cosecha 2000 - Broquel - Mendonza, Argentina - "o supra-sumo" da porcaria. O vinho tem APENAS uma cor que engana, o resto é uma m... mesmo. Tomei duas taças e joguei todo resto pelo ralo da pia. R$ 29,00 jogados fora.
E eu estava com um outro na mão, o Trivento também argentino, Malbec 2001, já tomei antes e achei bom... e fui ouvir o atendente... como minha tarefa é experimentar... mudei, peguei o tal Broquel.... Triste hora.
Não experimente. Não deixe experimentarem.

Prefira o Trivento que fica no mesmo preço, ou se der sorte... o Famiglia Bianchi por R$ 35,00 é uma barganha.